O Desenvolvimento Mediúnico

Dentre as várias funções cumpridas pelos Centros Espíritas, uma delas é o acolhimento e atenção às pessoas que se apresentam com o fator mediunidade em evidência, necessitando de orientação para compreensão do que lhes está ocorrendo. Entre eles os casos característicos de desordem mediúnica, em que a condição sensitiva está associada a uma prática de vida confusa e distanciada dos valores evangélicos, levando as pessoas a mergulharem em profundos desiquilíbrios emocionais e espirituais.

Dá-se lhes o atendimento imediato necessário, fornecendo-lhes suporte para o realinhamento energético e alívio do desconforto e propõe-se a participação em programa de desenvolvimento mediúnico, visto que a manutenção do estado de equilíbrio dependerá, dentre outros fatores, do conhecimento e correta aplicação desse instrumento ou ferramenta.

O desenvolvimento mediúnico, segundo Edgar Armond, pesquisador e escritor brasileiro, observador que acompanhou por várias décadas o comportamento dos médiuns em Centros Espíritas no Estado de São Paulo, onde foi Presidente da Federação Estadual de 1940 a 1965, deve seguir um método que enfoque três aspectos: 1 - Aclimatação Doutrinária; 2 - Evangelização; 3 - Exercitação prática.

A aclimatação doutrinária, expressão por ele criada, é a aquisição de informação para o conhecimento dos fundamentos da Doutrina Espírita, incluindo a fenomenologia mediúnica, o que se consegue com o estudo orientado das obras básicas e das obras complementares.

A evangelização é a assimilação e vivência prática dos princípios do Evangelho de Jesus. Não apenas a informação acumulada do conteúdo dos escritos de Marcos, Mateus, Lucas e João, mas a aplicação no dia a dia dos ensinamentos neles contidos.

A exercitação prática é o momento da ação, quando o médium, já com o conhecimento do que se passa, inserido numa atmosfera de vibrações positivas e num ambiente espiritualmente protegido, tem a oportunidade de sintonizar, processar e expandir energias benéficas, podendo interagir de forma mais direta com a fonte ou entidade geradora. Esta terceira etapa deve ser iniciada com os exercícios de treinamento nos grupos de estudo e desenvolvimento e ter sequência na participação com assiduidade e regularidade dos trabalhos da casa. Por ter a mediunidade uma característica dinâmica e evolutiva, o aprimoramento do médium jamais se encerrará, pois novos horizontes serão sempre alcançados pelos que se conservarem com disciplina e ordem no trabalho e no estudo, sem nada almejarem, dando de graça o que de graça tenham recebido.

Jaime João Regis